Leonardo Ota : Diário de um meditante

Anotações sobre os estudos e prática do livro: The Royal Seal of Mahamudra

Vou compartilhar comigo mesmo o andamento do estudo e prática desse livro maravilho o qual tive uma grande conexão, The Royal Seal of Mahamudra.

Ponto importante e fundamental, meu professor do Dharma me autorizou a estudar este livro individualmente, pois existem pontos pertinentes que ajudam nas outras práticas que já faço como por exemplo, a prática de Ngondro ensinada por S. Ema. Gyalwa Dokhampa, ensinamentos recebidos em 2015 no RJ. Para quem não fez o Ngondro, não é aconselhável estudar ensinamentos como o Mahamudra.

O CAMINHO COMPLETO SUPREMO DO OCEANO DE SIGNIFICADO PROFUNDO
Um guia para a principal prática de conexão com a coemergência, o Mahamudra

Indo direto ao ponto, vou enumerar os tópicos que o livro aborda:

  1. Porque a meditação é indispensável
  2. O ponto chave da postura física
  3. O ponto chave da fala (energia)
  4. Assentando a mente
  5. Eliminando os erros da mente
  6. Usando e mente como caminho
  7. A Yoga do Foco Uniforme
  8. Eliminando os erros de Shamata
  9. Refinando Shamata
  10. Preservando Shamata
  11. O Yoga da simplicidade
  12. Como praticar Vipashyana
  13. A fruição de Vipashyana
  14. A Yoga de um só sabor
  15. A Yoga da não meditação

Porque a meditação é indispensável

Meu entendimento sobre este tópico foi o seguinte, no livro o autor NGWANG KUNGA TENZIN, explica que o Samsara e o Nirvana nascem na mente, veja esta citação do livro:

No Tantra Samputa é dito:
Não há nada externo à mente.
Formas e outros fenômenos, aparecendo como objetos separados,
São todos manifestações da mente apenas.

Outra citação importante:

No Sutra da Árvore Adornada de Flores é dito:
O perfeito ensinamento do Buda
Não é realizado através do estudo somente.
Dharma sem meditação
É como uma pessoa que, havendo suprido
Muitos seres com comida e bebida,
Morre de fome ele mesmo.

Então, como havia comentado com alguns amigos do Dharma, tudo surge na mente, todo o nosso mundo que parece existir fora de nós, surge na mente. Não há nada externo.

Em geral, nós costumamos focar em nossos objetivos, sonhos, trabalho, família, estudos, filhos, amigos, lazer, bens materiais, relacionamento… mas esquecemos que é na mente que tudo isso surge, todos esses conceitos e valores que damos as coisas e aos fenômenos. Então com a mente confusa e emoções aflitivas, vamos com tudo realizar tudo o que queremos sem saber lidar minimamente com as coisas ou sem entender qual a real natureza dos fenômenos.

Para que as coisas fluam, precisamos de uma mente saudável, relaxada, aberta e flexível. E para isso precisamos treiná-la, domá-la, compreende-la e principalmente aprender a repousar em sua própria natureza.

Foi isso que compreendi deste primeiro capítulo.

Estudo e prática

O processo que estou utilizando para estudar e praticar é o seguinte, primeiro eu leio um trecho até que perceba uma instrução, então para de ler e medito sobre este ponto.

Por exemplo, no primeiro capítulo foi só leitura mesmo, pois falava sobre o Porque a meditação é indispensável. Já no segundo capítulo, eu li tudo sobre a postura e pratiquei por uma semana, focando apenas nos pontos chaves sobre a postura ensinado no livro.

 



Me encontre: email | facebook | rss